'O espelho reflecte certo; não erra porque não pensa.
Pensar é essencialmente errar.
Errar é essencialmente estar cego e surdo'
Alberto Caeiro

Sentidos

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Carta para minha mãe.


Mãe querida,
Há pouco tempo, foi levada para longe de mim.
Tu bem sabes, que considero-me um bom tratador de palavras,
Mas não consigo encontrar uma sequer, para descrever com a devida intensidade, a dor que senti e que ainda sinto todos os dias...

Quando viajou para sempre, levou consigo parte da minha vida também.

Mãe adorada,
Ensinou-me tudo...
Mas foi no seu amor que aprendi também a amar.

Foi nos seus olhos e no seu rosto,
Que sempre encontrei a paz.
No seu colo, a segurança,
E no seu abraço a força para viver todas as vicissitudes.

E é na sua falta, que estou aprendendo a saudade, dura, vazia.

Eu, fraco que sou, dizia-te que sentia-me triste, desanimado...sem forças para continuar, pois a vida às vezes é muito dura...
Em meus momentos difíceis, dizia-te, que pensava não haver nada nesse mundo em que eu me sentisse capaz...

Tu ouvias-me...
Tua apenas sorria...
Depois abraçava-me, e dizia que eu não podia pensar assim, pois seu herói, eu era.

Hoje sei, mãezinha,
Tu foste minha Heroína.
Sempre serás...

Quantas vezes tu salvaste-me de mim mesmo?

Perfeita mãe, com todas as imperfeições de mulher.

Não sentirei mais o cheiro do seu café pela casa, quando eu ainda estava na cama...
Nem minhas mãos em seu cabelo,
Nem seu abraço
Nem o cheiro de rosas de seu perfume favorito...

Isso dói ainda mais quando eu lembro.

Alguns dias são mais amenos,
Outros machucam com essa dor que conheci quando você se foi...
A dor do vazio, da falta, da saudade.

Antes de adormecer, peço a deus que deixe-me ver seu rosto ao menos em meus sonhos...
Que deixe-me falar contigo, te abraçar...

Sei que apenas partiu antes de mim, e espero um dia poder te encontrar...
Mas pergunto-me quanto tempo?
Quando tempo para um dia ver-te novamente?

O que me consola, é que viveu o tempo suficiente, para que eu possa sentir o seu amor em minha vida...
E em alguns momentos sei que está perto, e te vejo nos olhos do meu irmão, que sente a mesma falta que sinto, e também o mesmo amor.

Com amor eterno,

De seu filho!

Hugo Roberto Bher


***


Meus amigos, o que vou dizer pode parecer clichê...mas ainda sim creio que vale a pena ser dito...

Muitas vezes vemos a vida tão atribulada...
Coisas banais que prejudicam nossos relacionamentos...
E assim não percebemos que nossa passagem por esta terra e fugaz...logo as pessoas nos deixarão, ou nós podemos deixá-las...
Precisamos ficar mais tempo juntos, expressar nossos sentimentos...cuidar...sentir o calor humano...
Porque daqui nada levamos, senão o amor e o bem, puros e simples.

2 comentários:

ZAZÁ LEE disse...

Que lindo Otário....
Obrigada pela visita.

omeuoutrolado disse...

Não é clichê, o que acabou de dizer,porque nós seres humanos só percebemos e damos valor quando temos uma perda na nossa vida. E quando existe essa perda acaba por morrer um bocadinho de nós próprios. Por muito que possamos tentar compençar os que nos restam e estão presentes, não conseguimos, talvez por egoismos, pois a saudade e ausencia é tao grande...só mesmo as recordações ...

Mas está lindo

Copyright © - EspelhoSentido - is proudly powered by Blogger