'O espelho reflecte certo; não erra porque não pensa.
Pensar é essencialmente errar.
Errar é essencialmente estar cego e surdo'
Alberto Caeiro

Sentidos

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Coração sem imagens...

Deito fora as imagens,
Sem ti para que me servem as imagens?
Preciso habituar-me
a substituir-te pelo vento,
que está em toda a parte
e cuja direcção
é igualmente passageira
e verídica.


Preciso habituar-me ao eco dos teus passos
numa casa deserta,
ao trémulo vigor de todos os teus gestos
invisíveis,
à canção que tu cantas e que mais ninguém ouve
a não ser eu.


Serei feliz sem as imagens.
As imagens não dão
felicidade a ninguém.

Era mais difícil perder-te,
e, no entanto, perdi-te.

Era mais difícil inventar-te,
e eu te inventei.

Posso passar sem as imagens
assim como posso
passar sem ti.

E hei-de ser feliz ainda que
isso não seja ser feliz.

[Raul de Carvalho]

6 comentários:

izzie_tisha disse...

Adorei!... Obrigada =)

Otário disse...

sim, também gostei. Mas não faço dele as minhas palavras. O poeta colocou em voga a sensação, a recordação, colocando as imagens de lado. Perdão se estiver errado se ele recorda inesperadamente sem saber. Eu sou incapaz de me afastar das imagens, são elas que me fazem recordar momentos. E as palavras. Tal e qual.

Fadinha da Sombra disse...

Tisha:
Eu também gosto bastante do poema.

Beijitos :)

Otário:
Concordo contigo, mas e se o poeta quiser afastar as imagens para não sofrer por algo que perdeu? Tal como dizes as imagens fazem-te recordar momentos, com o poeta pode se passar o mesmo, logo ele foge delas para não lembrar e não sofrer.
Isto da poesia é muito subjectivo, na minha opinião :)

Beijitos :)

P.S- Ainda não consegui levar o cartão para casa :S

Otário disse...

sim, ontem não tive oportunidade de responder e fui -me deitar a pensar nisso. Eu tento não fugir às imagens, porque penso que as imagens, para além de serem umas boas e outras más, nos lembram de um dado momento e de certas vivências, alegrias. E, o que somos hoje, depende também do futuro. Contudo, o poeta não nos transmite o real assunto de que trata. Não poderemos comparar a angústia da morte de um amigo ou ente querido com a separação num relacionamento. Mesmo assim, prefiro não colocar de parte. ;)

izzie_tisha disse...

Fadinha: q giro, foste a 1a a chamar-me Tisha... Gostei...LOL
Bem... tenho que voltar a concordar com as palavras da Fadinha na resposta... embora otário, tenhas razão pq essas dores não se comparam...

Fadinha da Sombra disse...

Otário:
eu já senti na pele as duas dores que referes e nesse ponto concordo contigo: uma é branco outra é preto, distintas mesmo!
Esqueci-me de dizer isto no outro comentário.

Beijitos :)

Tisha:
Ainda bem xD

Beijitos :)

Copyright © - EspelhoSentido - is proudly powered by Blogger